.
mahouPROJECT
Nv. 164 Guilda: Tartaros Rep.: 6683500 Virgo
Nv. 162 Guilda: Fairy Wings Rep.: 40590500 Ellen
Nv. 162 Guilda: Fairy Wings Rep.: 19919000 Graydelvil
Nv. 162 Guilda: Rep.: 16321600 Yukino
Nv. 162 Guilda: Fairy Chaila Rep.: 12425600 Mardgeer
Nv. 35 Capitão: Chelia Membros.: 8 Mardgeer
Nv. 33 Capitão: Lyonice Membros.: 8 Mardgeer
Nv. 33 Capitão: Lucy Membros.: 8 Mardgeer
Nv. 25 Capitão: Gray Membros.: 7 Mardgeer
Nv. 20 Capitão: Kirito Membros.: 7 Mardgeer
1 1 1 1 1

Fanfic: Roupas

postado por Colecionador em 08 janeiro, 2014 na categoria News Express

Olá, sentiram minha falta? Voltei com mais uma fanfic para vocês. Eu andei lendo os comentários, vendo o que vocês queriam, e sim, postarei mais Natsu e Lucy aqui, mas por enquanto, que tal variar um pouco?

Casal: Gray & Lucy

Autora: Akemihime

Boa leitura!

Roupas

– VISTA ALGUMA ROUPA! – Lucy já perdeu a conta de quantas vezes teve de repetir aquela frase para o mago de gelo. Desde que entrara para a Fairy Tail e conhecera Gray, ela teve que aturar o péssimo hábito dele de se despir.

Sabia que não era exatamente culpa do moreno, afinal o mesmo retirava suas roupas sem ao menos se dar conta do ato, porém independente disso era desagradável Lucy ter de encará-lo completamente nu.

– Lu-chan, você está bem? – Perguntou Levy, se aproximando e colocando a mão na testa da loira. Lucy sem ao menos perceber, adquirira uma coloração avermelhada na face ao se lembrar de Gray com tão pouca roupa. Isso para não falar que estava sem nada. É, você entendeu bem.

– E-estou bem! – Exclamou ela, retirando a mão de Levy de sua face e dando uma risada amarela, aparentando nervosismo.

– A Lucy é estranha, aye. – Ouviu ao longe Happy dizer, mas para o bem do gato, decidiu ignorá-lo.

– Ela ficou assim depois que viu o Gray sem roupa… – Murmurou Natsu, franzindo o cenho, sem entender. Depois se virou para o mago de gelo que estava em uma conversa com Erza, e gritou em plenos pulmões: – EI GRAY, O QUE VOCÊ FEZ PRA LUCY, SEU MALDITO? – Não é difícil de imaginar o que veio depois. Natsu e Gray iniciaram mais uma de suas típicas brigas, que no final acabou envolvendo quase todos os magos da guilda.

Lucy achou melhor ir para casa mais cedo naquele dia. É, sem dúvida seria melhor isso do que ouvir Natsu e Happy falando mais alguma de suas bobeiras, e principalmente: evitar o péssimo hábito de Gray.

– Eu não sei o que está dando em mim hoje… – Murmurou Lucy ao chegar em seu apartamento, suspirando profundamente.

– Nem eu, você está bem?

– Estou, é que… – A loira arregalou os olhos quando notou que não estava mais falando sozinha, mas o que…? – O QUE FAZ AQUI? – Exclamou, jogando uma almofada na cara de Gray, que estava sentado confortavelmente na cadeira em frente à escrivaninha.

– Você está estranha. – Murmurou o outro, sem se abalar com a histeria típica de Lucy. – E pelo que Natsu disse, a culpa é minha…

A loira se acalmou. Sua raiva sendo substituída por constrangimento.

– Não é nada… – Disse, sem aparentar muita confiança.

Virou-se, ficando de costas para Gray, de olhos fechados, se perguntando o que diabos estava acontecendo com ela. Lucy nunca fora de agir assim!

Ouviu o som de passos e sentiu a presença do mago logo atrás de si, mas não se atreveu a dizer nada.

– Oi… Eu não sei o que eu fiz, o idiota do Natsu não me explicou, e acho que nem ele sabia. – Soltou um riso fraco, para depois segurar o pulso da loira, fazendo-a se virar para encará-lo. – Mas, de qualquer forma, me desculpe.

Foi então que Lucy percebeu a curta distância que seus corpos mantinham um do outro. Era possível até mesmo sentir a respiração lenta e calma de Gray, seus olhos frios e expressão séria, como sempre. Ela não sabia explicar, mas sentiu seu coração bater mais acelerado com a proximidade em que estavam.

– Tudo bem. – Sussurrou, se mantendo firme em seu lugar. “Acho que mesmo se eu quisesse, não seria capaz de me mover”, pensou a maga. Era como se tivesse com seus pés congelados no chão.

Gray se aproximou ainda mais dela, e a loira não fez nenhum sinal de que quisesse se desvencilhar, portanto o moreno calmamente depositou seus lábios sobre os dela, cortando a pequena distância que ainda havia entre eles, selando-os em um beijo sereno e frio, fazendo jus a sua magia de gelo.

Porém logo o beijo foi se intensificando, se tornando mais ardente, mais cheio de luxúria. As línguas se cruzavam, cada qual explorando com volúpia a boca um do outro. As mãos de Gray rodeavam a cintura de Lucy, segurando-a com firmeza, enquanto a loira afundava seus dedos nos cabelos macios do mago.

Não se sabe como exatamente aconteceu. Talvez aquele hábito de Gray de se despir tenha vindo nesta hora. E quem sabe, só quem sabe, tenha passado esse mau hábito para Lucy, que o acompanhou sem nem ao menos pensar.

Roupas.

Depois disso Lucy não havia ficado com raiva delas nunca estarem no corpo de Gray.

Quem precisa de roupas, afinal?